Saint-Paul-de-Vence: conheça o encantador vilarejo medieval em um dia

Grossas muralhas construídas no topo de uma colina protegem e escondem todo o encanto de um vilarejo medieval que parece ter parado no tempo. Saint-Paul-de-Vence é daqueles lugares que certamente vai fazer você cair de amores à primeira vista. 

Ir até o sul da França e não passar por Saint-Paul-de-Vence pelo menos uma vez é quase como ir a Paris e não ver ao Arco do Triunfo – ou quase isso. Exageros à parte, o fato é que, independentemente, do seu planejamento, recomendo dar um jeitinho de incluí-lo no seu roteiro. 

Por ser bem pequeno, um dia é suficiente para conhecer as principais atrações e ruazinhas graciosas que o vilarejo tem a oferecer. Veja nesse post dicas do que ver e fazer em Saint-Paul-de-Vence.

LEIA TAMBÉM: Côte d’Azur: o que você precisa saber antes de montar seu roteiro

O que ver e o que fazer em Saint-Paul-de-Vence

Vista da segunda entrada a partir do topo da muralha que cerca o vilarejo

Antes mesmo de ultrapassar os altos muros, o bar/restaurante Café de la Place dá as boas vindas aos visitantes em uma pracinha simpática onde locais costumam jogar pétanque, um jogo de bolas típico da região. 

Para entrar na cidadela, entretanto, é preciso ultrapassar a estreita e majestosa porta que corta a muralha. Logo na chegada, aproveite para subir na fortificação e apreciar a vista lá de cima. E então inicie o passeio explorando a vila despretensiosamente, pois cada ruela é um encanto só.

Seja para um almoço, jantar ou apenas um drink, não deixe de visitar o clássico restaurante La Colombe D’Or, por onde passaram artistas e intelectuais como Picasso, Van Gogh, Matisse, Sartre e Simone de Beauvoir. O restaurante, além de excelente, guarda até hoje obras de alguns deles e faz às vezes de pequeno museu.

A herança artística, aliás, é praticamente selo oficial do vilarejo e logo fica evidente após uma breve caminhada pelas ruelas, já que lojas e galerias de arte estão por toda parte. Não à toa, o Cemitério de Saint-Paul-de-Vence é também um dos pontos turísticos. Além de dispor de uma vista panorâmica excepcional, é lá onde está o túmulo de Marc Chagall. O pintor viveu por lá entre 1966 e 1885 e durante esses anos pintou muitas das paisagens locais.

Entre um passo e outro, você eventualmente irá se deparar com a Fonte de Saint-Paul-de-Vence. Construída em 1615 na Place de la Grande-Fontaine, bem no coração da cidadela, a fonte de estilo provençal possui quatro bicas d’água e foi um dos points favoritos dos artistas que frequentavam o local. 

Não leva muito tempo para conhecer o vilarejo de cabo a rabo. Portanto, após explorar cada pedacinho com calma, não deixe de visitar a Fondation Maeght, uma fundação privada que abriga obras de artistas modernos, como Miró. A entrada custa €16 e é gratuita para menores de 10 anos. A fundação fica fora da parte murada, mas está a uma curta caminhada de 20 minutos dali. De julho à setembro, há shuttles gratuitos para levar os visitantes. Encontre mais informações aqui.

Dando continuidade ao passeio, inclua também a La Chapelle Folon como parada. Erguida no século 17 e restaurada no início dos anos 2000, o local exibe o trabalho do artista belga Jean-Michel Folon, que passou muito tempo em Saint-Paul de Vence. Inspirada nos penitentes (movimento cristão em que se faz penitência pela confissão de pecados), a igreja abriga uma escultura de mãos abertas e belos vitrais. A entrada custa €7 por pessoa e é gratuita para crianças até 12 anos. A Capela dos Penitentes Brancos foi o último projeto em que Folon trabalhou antes de sua morte em 2005.

Para encerrar, siga até a Église Collégiale de Saint-Paul-de-Vence, cuja construção se estendeu do século 14 ao século 18. Os anos de trabalhos e obras resultaram em uma interessante mistura de épocas e estilos. A igreja não apenas foi elevada à categoria de colegiada em 1666, mas seu interior da era do Romantismo também foi aprimorado com obras da era Renascentista, incluindo afrescos e esculturas. Um dos principais destaques, no entanto, consiste na capela de São Clemente, construída no início da década de 1680 pela família Bernardi e que contém relíquias das catacumbas de Roma. A entrada é gratuita.

LEIA TAMBÉM: Roteiro Riviera Francesa: 7 dias por belas praias e vilarejos medievais

Onde comer em Saint-Paul-de-Vence

Terraço do restaurante Le Tilleul, na entrada do vilarejo

Quando bater a fome, uma ótima alternativa é restaurante o Le Tilleul, que conta com um terraço bem agradável para curtir os dias mais quentes, com pratos entre €20 e €30. Já para uma refeição mais rápida ou mais em conta, crepes são sempre uma boa pedida e é possível encontrá-los no The Artiste, de €12 a €20. 

Para um almoço ou jantar mais requintado, recomendo fortemente o icônico Le Saint Paul, que faz parte do Hotel Le Saint-Paul – entrou disparado na lista dos melhores restaurantes já fui. O preço é bem elevado, mas vale cada centavo. No jantar há duas opções de menu: o “Menu Gourmand” inclui entrada + prato principal + sobremesa por €76, enquanto o “Menu Dégustation” com seis pratos por €115. Pedimos o “Menu Gourmand” para cada e foi suficiente.

Gostou das dicas? Ficou alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários! 😉

Publicado por Bruna Aranguiz

Paulistana, jornalista e viajante. Vivendo na Irlanda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s